Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Influenciadores

Dicas, partilha de experiências e best practices sobre blogging e influenciadores digitais

21.Jan.18

Entrevista Vânia Duarte do blog Lolly Taste: de uma mixórdia de temáticas ao amor próprio

VaniaDuarte.jpg

Fotografia de Vânia Duarte (Lolly Taste)

 

De 2010 até agora, muita coisa mudou no Lolly Taste. Começou por ser um espaço de evasão do seu dia a dia e de um trabalho que não a fazia feliz, mas que evoluiu para um espaço de partilha honesta e muito pessoal. Vânia Duarte partilha a sua experiência e procura ajudar quem passa pelo Lolly Taste a superar alguns dos problemas que a própria teve de superar.

Nesta entrevista, para além de dar a conhecer um pouco mais do universo do Lolly Taste, Vânia ainda partilha conselhos para quem quer iniciar uma vida mais saudável e equilibrada e fala sobre o Blogging for a cause, o evento solidário que co-organizou. 

 

Como nasceu o Lolly Taste? De onde surgiu a inspiração?

Bem, eu sempre amei blogues. E tive vários na verdade mas nunca me comprometi com nenhum. Para mim, ter um blogue era simplesmente uma forma de expandir a minha criatividade, de partilhar coisas que gostava e de conhecer outros blogues. Mas a verdade é que nunca me aguentei muito tempo com um espaço online e, por isso, a maioria dos meus blogues duravam mais ou menos 6 meses. Entretanto, em 2010, eu estava a estudar e trabalhava num sítio que não me fazia muito feliz. Queria muito sair dali, mas precisava do dinheiro para pagar o curso. Então, num dia em que estava super desmotivada, decidi criar o Lolly Taste como forma de me ocupar e, acima de tudo, de encontrar um escape num trabalho que me aborrecia muito. Mal sabia eu que ao final de quase 8 anos continuo completamente rendida a este espaço.

 

No blog fala de tudo um pouco. Há algum tema sobre o qual prefira falar?

O Lolly Taste foi durante a maior parte do tempo uma grande mixórdia de temáticas. Eu partilhava basicamente sobre tudo o que via e gostava, mas nunca senti que tivesse efectivamente encontrado um nicho que me enquadrasse. Entretanto, em 2015, senti-me muito saturada do blogue e decidi parar de escrever. E assim estive durante 1 ano. Até que em 2016 a vontade voltou. Eu estava a passar por uma fase muito complicada, com uma dieta muito restrita que me deixou bastante doente e decidi voltar ao blogue para desabafar. Comecei a falar sobre alimentação saudável, sobre procurar um maior equilíbrio até que, algures em Agosto, fiz um grande post com um profundo desabafo sobre ter falhado nisto de ser saudável. E esse post, sem eu estar à espera, teve um feedback incrível. Muitas pessoas identificaram-se com o meu desabafo, com a pressão do corpo perfeito, com a confusão das dietas que existe hoje em dia e desabafaram imenso comigo. E percebi que, sem estar à procura, tinha encontrado o meu nicho. A partir daí comecei a falar mais sobre o meu passado turbulento com dietas, bulimia, ataques de pânico e aos poucos o Lolly Taste tornou-se um site de amor próprio - como gosto de lhe chamar. Acima de tudo é um espaço que procura mostrar que é possível vencer os nossos demónios e sermos felizes com o espelho e com a balança.

 

Onde vai buscar inspiração para as receitas que partilha?

Acho que me inspiro em muitos sítios. No Pinterest, em contas de Instagram que sigo, em trocas de ideias com amigas e em muitas experiências que faço em casa. Normalmente quando uma receita me corre bem, gosto de experimentar diferentes variantes e, assim, com algumas mudanças, vou tendo receitas novas.

 

O que diferencia o Lolly Taste dos restantes blogs?

Sinceramente acho que é a honestidade com que falo de temas muito pessoais e sensíveis. Muitas pessoas acabam por sentir uma espécie de conforto ao lerem-me, porque percebem que não estão sozinhas. A compulsão alimentar, a pressão para um corpo perfeito, as mil dietas, a ansiedade e a depressão são temas com que muitas mulheres se identificam e ao verem-me dar-lhes voz de uma forma tão sincera e despida de medos, acabam por criar afinidade. As pessoas que me lêem desabafam muito comigo, contam-me coisas muito pessoais porque efectivamente olham para mim como alguém que as compreende. 

 

26172820_888233541341918_1479360029516924078_o.jpg

Fotografia de Vânia Duarte (Lolly Taste)

 

Partilha muito da sua experiência pessoal. É fácil para si partilhar informações muito pessoais online?

Sim, hoje em dia é. A verdade é que, quando comecei a falar mais sobre a minha luta com a imagem corporal, desabafar sobre este assunto foi uma forma de me ajudar algumas vezes a manter-me equilibrada. Entretanto acabei por perceber que ao fazê-lo, estava efectivamente a ajudar outras pessoas a encontrarem-se e a sentirem que não estavam sozinhas nas suas próprias lutas. E saber que posso ajudar alguém a conseguir viver mais feliz e sem medos, acaba por ser motivação suficiente para continuar a abrir o meu coração de forma tão pessoal.

 

Segue outros blogs? Quais?

Sigo alguns. Houve uma época em que seguia muitos, mas hoje em dia acabei por reduzir a lista e deixar somente aqueles com que me identifico mesmo. Gosto muito do blogue da Catarina Alves de Sousa, o Joan of July. A Catarina é uma exímia escritora e tem sempre temas muito interessantes no blogue. Adoro o blogue da Vânia Ribeiro, o Made By Choices, que para mim é o melhor blogue português de culinária vegan. E gosto também muito do blogue da Helena Magalhães. A Helena escreve muito muito bem e faz-nos pensar a fundo nas coisas.

 

Já colaborou com alguma marca? Como vê as colaborações num blog tão pessoal como o Lolly Taste?

Sim, já colaborei com algumas marcas mas foram poucas porque, a verdade é que eu sou muito esquisita com parcerias. O Lolly Taste é um blogue muito pessoal e quem me lê está habituado a honestidade acima de tudo, por isso para mim só faz sentido associar-me a marcas que efectivamente use. E, na realidade, quem me conhece sabe que isto é verdade – eu ligo muito pouco a este universo de receber coisas. O facto de o meu blogue estar associado à vida saudável acaba por atrair por exemplo algumas marcas de produtos que eu não uso e com os quais não concordo e já foram várias as vezes que rejeitei certas parcerias, mesmo sendo pagas. E depois há outro lado, que são as marcas pensarem que vivemos de ofertas. Já tive propostas para gravar e editar um vídeo em troca de divulgação nas redes e como sou completamente contra trabalho gratuito disse que não, apesar da empresa que fez a proposta ser grande. E sinceramente acho que este é um dos maiores problemas das parcerias. Para muita gente, receber coisas é sinal de status, é sinal de sucesso num blogue, mas se olharmos bem, qualquer blogue hoje em dia recebe coisas, sejam elas espectaculares ou da parcerias estranhas com lojas chinesas. Os blogues nos últimos anos perderam muita qualidade em termos de escrita para se tornarem verdadeiras montras de produtos completamente random e é exactamente por isto que sou muito selectiva nas marcas com que possa trabalhar. Para mim mais do que fazer uma parceria eu quero é fidelizar leitores, quero alcançar mais audiência e sei que só o consigo sendo o mais honesta possível e partilhando o melhor conteúdo que posso dar. Ao final do dia tenho a certeza que os meus leitores preferem ler um texto que os ajude de alguma forma do que uma publicidade qualquer no blogue e é por isso que acabo por ser bastante picuinhas com parcerias.

 

Quais são os seus conselhos para quem se quer iniciar numa vida mais saudável e equilibrada?

Sem dúvida nenhuma que é: Procura ajuda nutricional de um profissional de saúde. Esquece a dieta da amiga. Esquece os conselhos que as inspirações fit de hoje em dia dão nas redes sociais e esquece as comparações. Procura uma pessoa que te ajude a entender a alimentação como algo perfeitamente normal, que não te crie medos com os alimentos e que te explique que comer é uma coisa super simples, o mundo lá fora hoje em dia, é que faz parecer o contrário. Depois encontra uma modalidade que te apaixona e cuida do teu corpo. E não há mal se essa modalidade for Yoga, Pilates, Zumba ou Natação. Não tens que ir para um ginásio levantar pesos contrariada se o que gostas é de dar umas braçadas na piscina, por exemplo. Equilíbrio acima de tudo é encontrares plenitude na comida e no exercício sem medos e sem comparações.

 

O que significou para si o Blogging for a Cause?

O Blogging for a Cause foi um dos maiores momentos de 2017 sem dúvida. E apesar de ter sido originalmente pensado por mim, só fez sentido porque ao meu lado tive 4 grandes companheiras - Joana Clara, Catarina Alves de Sousa, Andreia Moita e Helena Magalhães - que meteram este projecto a andar. O objectivo do Blogging for a Cause desde o início sempre foi mostrar que o poder dos influenciadores pode ser usado para muitas coisas boas. Nós as 5 amamos blogues. Amamos as sinergias que se criam. E amamos sobretudo partilha. E nós as 5 sabemos o poder que os blogues têm hoje em dia. Na minha cabeça sempre me questionei: se as marcas olham para os blogues como uma excelente forma de divulgação e se os blogues alcançam muita gente, porque não usá-los com o propósito de fazer o bem em vez de estarem somente associados a publicidade pura e dura? A verdade é que das coisas que mais me custam é o excesso de publicidade que os blogues têm hoje em dia. E sim, eu sei que é o ganha pão de muita gente, mas acho que muitos bloggers com o alcance que têm podem fazer mais do que fazem relativamente à solidariedade social. O Blogging for a Cause serviu para mudar um bocadinho a ideia dos influenciadores. Mostrar que quando se quer tudo se consegue e que não é preciso ter um blogue extremamente conhecido para conseguir fazer a diferença. Conseguimos criar um evento 100% solidário e angariar 3085€ somente com o poder que é possível formar no digital. Conseguimos arranjar um espaço, serviço de catering, imensos parceiros e 4 oradoras absolutamente maravilhosas e alinhadas com os nossos valores sem gastar dinheiro absolutamente nenhum e isto é mesmo incrível. Criámos uma tarde memorável e sabemos que fizemos mesmo a diferença com este evento. Acho que acima tudo mostrámos que quando se acredita, tudo dá certo. E no fim, quem ficou a ganhar foram 5 projectos solidários.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.