Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Influenciadores

Dicas, partilha de experiências e best practices sobre blogging e influenciadores digitais

07.Jan.18

Entrevista Marta Rodrigues do blog Birras em Direto: O lado materno de uma apresentadora de TV

Design sem nome (1).png

 

A comunicação está-lhe no sangue e o percurso profissional é um reflexo da sua facilidade em comunicar. Marta Rodrigues é apresentadora e blogger no Birras em Direto, onde partilha um pouco do seu dia a dia como mãe. No blog, Marta dá a conhecer a "família Birras" e escreve, não só sobre maternidade, como também sobre viagens e dasabafos de mãe e mulher.

A sua facilidade em comunicar levou-a mais além e está também pelo Youtube, um dos temas abordados nesta entrevista ao Influenciadores. 

 

Sente que o título do blog a limita ao tema da maternidade?

Talvez mas quando pensei criar um blog sabia que o foco seria a maternidade / família, no entanto sou Mãe mas também sou Mulher. No blog podemos encontrar desabafos, dicas, viagens em família, entrevistas, vídeos e muitas outras coisas ligadas à maternidade mas outras nem por isso. O nome surgiu de repente, depois do meu filho fazer uma daquelas birras intermináveis e como sou jornalista achei que pudesse ficar engraçado "Birras em Direto". Na realidade podem acompanhar as birras de um puto de 2 anos mas também de uma mãe de 31. 

 

Quais são os maiores desafios de escrever sobre a maternidade?

Sempre escrevi de forma genuína, escrevo o que sinto, as minhas dificuldades enquanto Mãe, os desafios do dia a dia e talvez por isso os artigos sejam tão bem recebidos. Não sou uma Mãe perfeita e espelho isso na minha escrita! A maternidade é um tema bastante sensível, toda a gente gosta de opinar na educação dos nosso filhos e cada Mãe é diferente. Tenho algum cuidado para deixar bem explicito que não sou nenhuma perita no assunto, não sou nenhuma terapeuta familiar, sou apenas uma Mãe que todos os dias tenta aprender coisas novas para implementar no desenvolvimento do seu filho e desta forma decido partilhar.

 

Qual é a pior parte de ter um blog sobre a maternidade e como lida com ela?

Quando partilho um artigo está sempre ligado a uma experiência, pode até ser um texto de dicas para outras mães mas relato sempre as vivências pessoais. De alguma forma poderei estar a abrir a porta da nossa casa e a expor demasiado a nossa vida mas também controlo bastante o que publico.

 

Como faz a seleção entre o que partilhar e o que não partilhar?

Inicialmente essa questão estava muito presente na minha cabeça, tinha muito receio de publicar certos artigos que pudessem provocar reações menos boas e eu não saberia lidar com elas, como por exemplo um artigo que publiquei“ São todos muito bons pais quando não têm filhos ”. Este artigo foi muito partilhado e sabia que os Pais entenderiam e estariam do meu lado mas aqueles que ainda não tivessem passado pela experiência da maternidade poderiam levar a mal. Foi um artigo escrito depois de algumas vivências  menos positivas com amigos e foi basicamente um desabafo. Partilho o que sinto e o que acho que possa fazer sentido para outras mães, que se possam identificar e desta forma aliviar um pouco o peso das constantes dúvidas " Estarei a ser boa mãe? Mimo muito o meu filho? Está mal educado por minha culpa? " etc.

 

Existem temas tabu que não são tão bem recebidos pelos leitores?

Tema Tabu não diria mas existe um tema que acho bastante polémico, co-sleeping. Este é dos temas onde encontro mais controvérsia. Tenho uma opinião formada sobre ele e até já partilhei no blog. 

 

Sente que o público dos blogs sobre maternidade é exclusivamente feminino, ou existem alguns homens curiosos?

Diria que 90% é feminino, pelo menos pelo que vejo nos outros blogs e no meu caso igualmente mas também tenho alguns homens curiosos e fazem questão de comentar o artigo.

 

image1.jpeg

 

Como lida com a exposição?

Lido bem! Sou jornalista há anos, apresentei magazines culturais e programas de turismo na tv e devo confessar que nunca tive tanta interação e feedback como agora. As pessoas agradecem a partilha, não se sentem sozinhas com alguns dos meus desabafos e é isto que me dá força para continuar a escrever e a partilhar as minhas experiências. O blog tem apenas 3 meses e os resultados deixam-me muito feliz, estava preparada para falar para poucas pessoas (apenas família e amigos) durante o primeiro ou o segundo ano e aconteceu o contrário. Superou muito as minhas expectativas.  

 

Sente que o crescimento das crianças tem influência no rumo do blog?

De certa forma sim. O meu objetivo é partilhar tudo aquilo que vai em mim, enquanto Mãe e enquanto Mulher. Tudo o que me rodeia está totalmente interligado ao que escrevo e mostro ao mundo através do blog. Lá podem acompanhar o desenvolvimento do Rafael, as minhas dificuldades em lidar com os 2 anos e posteriormente falarei de outras idades, outras birras, outros assuntos... 

 

Quais os seus conselhos para criar um canal de YouTube relacionado com a maternidade?

Quando criei o blog pensei logo que tinha de fazer vídeos pois era onde me sentia mais à vontade, mais propriamente entrevistas. Coloco todos os vídeos no youtube mas não faço a divulgação no facebook através da mesma plataforma. Coloco diretamente os vídeos no facebook e deste modo consigo chegar a mais pessoas. Ainda não explorei muito o youtube como plataforma de divulgação de conteúdos de maternidade. São muitas redes sociais para gerir, neste momento o foco está no blog e no facebook, posteriormente será o instagram e quem sabe o youtube.

 

Sente que o facto de ser profissional de comunicação facilita a criação de conteúdos para o blog? Sente-se mais à vontade para fazer vídeos por já ter essa formação de base?

Sim sem dúvida, sei que o vídeo intimida muito as pessoas e quando proponho uma entrevista dou prioridade ao vídeo, caso não se sintam confortáveis faço entrevista escrita. Amo comunicar para uma câmara, é um adrenalina diferente, apesar da escrita ser o meu novo romance, uma descoberta que está a ser incrível. Desde que me formei sempre trabalhei em tv, a escrita é diferente e na maioria das vezes era tudo improvisado por isso estou a adorar esta nova fase.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.