Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Influenciadores

Dicas, partilha de experiências e best practices sobre blogging e influenciadores digitais

25.Jun.17

Entrevista Catarina Duarte, blog Free Mind Travel: Como alimentar um blog de viagens?

 

FB_IMG_1494335331558.jpg  A Catarina Duarte é quem está por detrás do blog Free Mind Travel. O Free Mind Travel é um blog de viagens com muitas dicas sobre vários destinos, o que fazer, onde dormir, conselhos, etc. 

No blog podem ver todos os destinos para onde a Catarina viaja e as fotos fantásticas de cada um deles, estando o blog dividido por continentes: Europa, Ásia, África, América do Norte/Sul.

Vejam o blog Free Mind Travel aqui!

Nesta entrevista fala-nos sobre como seleciona os destinos das suas viagens, como edita o conteúdo de cada post e como se organiza financeiramente e pessoalmente para cada viagem.

 

Como surgiu a ideia de criar um blog de viagens?

A ideia de criar o Freemindtravel surgiu sem grande planeamento. Adoro viajar e faço-o de forma contínua, sempre que a minha vida profissional e disponibilidade financeira o permite. Gosto de fugir de roteiros feitos e a verdade é que consigo fazer viagens extraordinárias com orçamentos muito baixos, tudo planeado por mim. Isto levantava muita curiosidade nos meus amigos, que me pediam dicas e para lhes “desenhar” roteiro. Comecei a perceber que até tinha jeito para “a coisa” e o blog nasceu como uma forma de ajudar outros a planear as suas viagens. Escrevo de forma simples, sucinta, sem grandes floreados e com dicas que considero serem úteis a tirar o melhor proveito do destino. Problema, não consigo dar “vazão” a tanto que tenho para escrever. tenho imensas viagens feitas que ainda estão na “gaveta”. Conciliar um emprego a full time com o blog é muitooooo complicado.

halong bay vietname.jpgHalong Bay, Vietname 

 

Como seleciona os destinos das suas viagens?

Surge de forma natural, por vezes é uma foto que vejo numa rede social ou num blog. Fico interessada e começo a busca de informação. Leio e leio, planeio e começo a escrever num caderno todas as notas, até que já tenha a informação para começar a formular o roteiro. Confesso que o Sudoeste Asiático é a minha zona de conforto, quero visitar os poucos países que por lá me faltam e ver se consigo quebrar este “vício” e mudar de continente. 

Kaudulla National Park, Sri Lanka.JPGKaudulla National Park, Sri Lank 

 

De que forma organiza o conteúdo para cada post? Antes, durante, depois de cada viagem?

Antes de partir já levo um roteiro predefinido que vai mudando conforme o que vou “sentindo” e “vivendo” no terreno. Antigamente cometia o erro de não preparar nada durante a viagem, depois chegava e haviam muito detalhes que me falhavam. Isto obrigava-me a ter que voltar a fazer alguma pesquisa. Agora no fim do dia, tenho um bloco de notas (confesso que ainda sou old school, fã do papel) e aponto as dicas essenciais e os preços das coisas, para depois ter tudo bem estruturado.

No regresso agarro em tudo e componho o artigo final, que é bem mais trabalhoso do que se pensa. É escrever de forma perceptível, é escolher e editar fotos, montar tudo e ainda traduzir para inglês, porque o meu blog passou a ser bilingue. 

maldivas.jpgMaldivas 

 

Em que medida os destinos que escolhe, na grande maioria paradisíacos, facilitam a edição de conteúdo?

Escolher destinos paradisíacos ajuda e muito, mas mesmo quando não o são, procuro uma maneira de lhes dar um ângulo mais interessante. Apesar do cuidado nas fotos, gosto de ser honesta nos meus artigos, se não gosto de alguma coisa digo. E a reacção das pessoas que lêem acaba por ser interessante. Por exemplo, muita gente não tinha noção de que o Sri Lanka podia ser tão bonito e com tanto para ver, mas após a publicação do meu artigo na última edição da Revista Cristina, tenho tido imensas abordagens. Um destino que poucos têm em conta, mas que veio despertar a vontade de lá irem e isso deixa-me extremamente feliz. Sinto que consegui passar o que lá vivi. Mas claro que tudo foi muito bem planeado antes de partir, troco muitos emails com operadores turísticos do país, com habitantes que estão em fóruns de viagens, leio um sem número de informações online… portanto, há todo um trabalho por detrás. 

hotel keemala, phuket, tailandia.jpgHotel Keemala, Phuket, Tailândia 

 

Tendo em conta que viaja de forma regular, como se organiza tanto financeiramente como profissionalmente para cada viagem?

Tenho a sorte de ter um “banco” de folgas que junto às férias. Tento sempre fazer duas grandes viagens por ano. No Verão adoro ficar em Portugal e pegar no carro e andar por ai a descobrir recantos. No máximo vou uma semana fora pela Europa. Depois em Novembro e Março lá vou eu no mínimo 16 dias. Junto duas semanas de cada vez e apanho os fins-de-semana e já dá para fazer muito. A nível financeiro tenho pago a maioria das viagens. O ordenado do meu trabalho a tempo inteiro (há 12 anos que trabalho na TVI, no programa da manhã “Você na TV”) é para as minhas despesas mensais, depois faço trabalhos como freelancer em que todo o dinheiro ganho é para pagar as viagens. No entanto, já começam a surgir contactos para fazer parcerias.

E a verdade é que também consigo fazer viagens espectaculares com orçamentos muito simpáticos. Acho engraçado quando digo o quanto gastei nas viagens, os meus amigos nem querem acreditar e começam logo a pedir para lhes fazer roteiros para eles.

 tam cuoc, vietname.JPGTam Cuoc, Vietname

 

Quais as oportunidades que o blog lhe proporcionou?

O blog foi criado por paixão. O melhor que me tem dado é poder partilhar com todos o que mais gosto de fazer: viajar. Também me ajuda a estabelecer alguns contactos, que futuramente me serão muito úteis. Além disso, dentro de um mês irá materializar-se na concretização de um sonho. Fiquem atentos*

tegalalang rice field, bali (1).jpgTegalaland rice fiel, Bali

Todas as fotografias foram cedidas pela Catarina.

 

Obrigada Catarina pela colaboração!

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.